Resposta 1 – Direitas Já – http://direitasja.com.br/2013/04/28/o-socialista-que-nao-e/

http://direitasja.com.br/2013/04/28/o-socialista-que-nao-e/

1f9d3ddd82ce5788a497c2fa29561831

http://direitasja.com.br/2013/04/28/o-socialista-que-nao-e/
A postagem em questão é um texto super bacana e direitinho sobre o Mujica (okkkk um pouquinho tendencioso, mas nada que atrapalhe a leitura e o entendimento geral) e algumas elucidações sobre o socialismo, capitalismo e liberalismo. Super justo o texto, mas o que o ele  infere é apenas que o Pepe é de Esquerda, não é socialista, e é um sujeito detentor de um puta bom senso.

Geralmente eu respondo pro próprio autor do blog, mas dessa vez o que me angustiou foram os comentários:

Mujica é um demagogo. Quer se fazer de bom moço, mas adota políticas marxistas como o aborto e o desarmamento. Nessa conversa eu não caio.

e

Exato Daniel, é lobo em pele de cordeiro, uma vez terrorista, sempre terrorista.

Aborto, desarmamento e a maconha estatal?! se isso não é socialismo, não sei o que é?

Esse individuo sempre esta nas reuniões do foro de São Paulo, estava naquele encontro de marxista (Cristina Kirchner, Evo Morales, Dilma Roussef e cia) para reconhecer o neo ditador da venezuela Nicolas “Podre”.

A partir disso escrevi essa resposta [que ficou enorme e acabei tendo a idéia do blog]

“Aborto, desarmamento e a maconha estatal?! se isso não é socialismo, não sei o que é?”
– Na minha opinião, uma alternativa extremamente ANTI-demagoga à problemática inerente a esses temas. [Btw, se tu for considerar demagogia por “A Política”, como corrupção da democracia, eu diria que esconder-se por trás de conceitos morais do século I e ignorar quaisquer outros fatores – seja a revolução científica seja séculos de diferença de pensamentos – é a demagogia em sua mais perfeita forma. Conduzir uma massa a pensar tais questões citadas de forma maniqueísta e ignorante não é exatamente o contrário do que o Mujica está fazendo? Enfim…]

Mas, na real? Foda-se a minha opinião, assim como foda-se a tua. Para falarmos (principalmente de forma depreciativa) sobre alguém temos que ter argumentos sólidos. Então, deixemos de achismos e pecuinhas infantis e partamos para estes:
1º – Desde quando questões concernentes a liberdade individual, conservadorismo nos costumes definem direita ou esquerda? Capitalismo ou socialismo? Não posso nem chamar de falácia pq isso é ignorância mesmo.
.:. Maconha estatal – O consumo controlado pelo estado, com regulamentação, medidas sanitárias cabíveis, é realmente um absurdo. Certo mesmo é deixar que o tráfico (o que poderia ser comércio) aconteça e ficar nessa tentativa frustrada ad aeternum de controlá-lo, alimentando a corrupção, violência, injustiças. A maconha é um problema, mas certamente o desdém com que a sociedade trata esse tema é algo ainda pior. Fingir que um problema não existe não vai fazê-lo desaparecer, mas entendo que a moral judaico-cristã de alguns que se dizem liberais seja um impedimento para a discussão do tema. Apontar medidas alternativas que efetivamente amenizem os traumas que essa situação acarreta é algo perigoso, uma vez que se fará necessário repensar pontos de vista, enxergar novas questões, enfim, modernizar-se, informar-se, reformular dogmas entranhados no pensamento conservador retrógrado. Aliás, o resgate e apreciação de valores tradicionais, que parte da direita se fundamenta, é algo completamente diferente de interferência na soberania sobre si.
.:. Aborto – Quando o Uruguai optou pela legalização do aborto, também foi estabelecido que a mulher que decidiu por abortar seja assistida por uma equipe de profissionais como psicólogos, ginecologistas e assistentes sociais. Após essa primeira etapa é dado um prazo de cinco dias para a chamada “fase de reflexão” antes de se concluir o procedimento. São diversos os motivos que fazem com que uma mulher opte por passar por esse procedimento que é sempre traumático para ela, mas uma coisa é certa: Se ela optou pela realização do procedimento, é porque aquela criança, naquele determinado momento, não era desejada. Independente de qualquer coisa, essa mãe que deseja abortar não tem estrutura psicológica para cuidar dessa criança indesejada de maneira apropriada. Muitas vezes essa mãe não tem alguma estrutura at all, seja essa psicológica, econômica, socio-cultural, sanitária,infra-estrutural… E são em casos como estes que é preferível que a mãe opte por não ter a criança, por quaisquer motivos que ela acredite que revelam que naquele momento o mais correto é a opção pelo aborto, a parir uma criança que será completamente desassistida de saúde, carinho, amor, educação.
A LEGALIZAÇÃO DO ABORTO NÃO É A SOLUÇÃO, mas uma medida paliativa que visa além de tudo diminuir a miséria, criminalidade, abuso infantil, abandono.
A solução seria investir em planejamento familiar, em educação, ampliar o acesso à informação. É bem sabido que mudanças nessas esferas não acontecem do dia para noite, em contrapartida, não é justo nem inteligente que se deixe as crianças que nascerem nesse meio tempo no qual as medidas são implementadas sofrendo maus-tratos e tudo mais que se tenta erradicar enquanto isso.
PS: No Art. 3º da CFB está:
IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.
Mas também:
III – erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais;
Ora, sem planejamento familiar, informação, educação de qualidade, ou seja, enquanto houver crianças indesejadas nascendo a torto e a direito, abandonadas em ambientes completamente insalubres quanto a conceitos de ética e moral pelo menos, haverá crianças marginalizadas sim, que se tornarão adultos quase esquizofrênicos, completamente alheios a realidade, amorais, não necessariamente maus, mas que sem dúvidas trarão inúmeros malefícios a sociedade em geral. E isso é cíclico e exponencial. Para se “erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais” tem de haver uma política que consiga de alguma maneira controlar a dimensão populacional dessas crianças indesejadas e marginalizadas desde a concepção. Para não ficarmos na DEMAGOGIA do “devemos fazer isso e aquilo” “bla bla bla é necessário o planejamento familiar, educação bla bla bla” tomou-se uma decisão que prepara o terreno e ameniza questões sociais para que tais medidas sejam passíveis de serem implementadas.

.:. Desarmamento – Mais uma vez.
Vejo que alguns indivíduos que se auto-intitulam “de direita” andam confundindo o conceito de socialismo com algo que é apenas um modo natural de enxergar as mudanças que acontecem no mundo. A não estagnação do pensamento. A receptividade à novas informações. A visão desmistificada de inovações científicas e tecnológicas. O ponderar quando algo que foge ao padrão é apresentado como solução para determinada temática. Essa “nova” corrente de pensamento, essa nova tendência, se chama na verdade BOM-SENSO.
Seguindo essa linha de raciocínio, não ha nenhuma proibição quanto a posse de armas, mas sim uma campanha estruturada. “O programa de desarmamento cria incentivos, brindando os cidadãos que devolverem armas de fogo. ‘O cidadão que entregar uma arma recebe outra: uma arma para a vida. Pode ser uma arma de conhecimento, a ceibalita, ou uma para a saúde e exercício, a bicicleta’.
Além da troca, o ministério irá enviar ao Parlamento uruguaio uma nova legislação sobre armas para FACILITAR A LEGALIZAÇÃO DE CIDADÃOS QUE POSSUEM ARMAS IRREGULARES.

Por fim: Leia e se informe mais antes de maldizer algo ou alguém. Saia da ignorância. (Até pq, além de tudo, é mto deselegante) ;)

Bom é isso!

Bjobjo

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s